Mastigar chicletes sem açúcar evita o aparecimento de cáries?

Ao longo das últimas décadas, especialistas em saúde dentária declararam guerra contra os chicletes e reforçaram seu alto potencial para o desenvolvimento de cáries, principalmente por conta do alto teor de açúcar presente na goma de mascar. Com o tempo, inúmeras marcas de chiclete passaram a fabricar balas sem açúcar na tentativa de contornar essas ideias prejudiciais, mas será que realmente elas funcionam para quem deseja cuidar melhor de seus dentes?

Peritos em higiene bucal divergem sobre o impacto do chiclete sem açúcar na saúde dentária, e enquanto grupos acreditam no potencial benéfico da goma de mascar sem açúcar e sugerem que possui poderes preventivos quanto ao desenvolvimento de bactérias, outros indicam que não há como isso ocorrer, já que a única forma da limpeza dos dentes ser realizada com eficiência é através de uma escovação profunda. Confira abaixo alguns dos principais argumentos sobre possíveis tratamentos de cáries com chicletes sem açúcar.

Chiclete pode fazer bem aos dentes?

De acordo com estudos da Associação Americana de Odontologia, mascar um chiclete sem açúcar por cerca de 20 minutos após as refeições pode prevenir cáries, visto que aumenta o fluxo de saliva na boca e fortalece o esmalte dos dentes com a produção de cálcio e fosfato adicionais. Todos esses efeitos podem ser potencializados caso haja a presença do adoçante natural xilitol, que tem o poder de reduzir a quantidade de bactérias e enfraquecê-las.

(Fonte: Terra / Reprodução)(Fonte: Terra / Reprodução)

Além disso, uma pesquisa realizada por cientistas do King’s College London Dental Institute, Inglaterra, identificou que mascar goma zero açúcar reduz a sensibilidade dos dentes após a realização de clareamento, algo possivelmente ocorrido também em detrimento do aumento do fluxo de saliva.

A goma de mascar substitui a escovação?

Apesar da existência de pesquisas que indicam benefícios da goma de mascar sem açúcar, profissionais em odontologia afirmam que o alimento não pode substituir a escovação e que os procedimentos diários e aprofundados de utilização de creme e fio dental devem ser aplicados constantemente, de forma a limpar profundamente as áreas propensas à cárie.

(Fonte: iStock / Reprodução)(Fonte: iStock / Reprodução)

Segundo o professor Francisco Pustiglioni, da USP, as pessoas devem dar preferência ao uso de escovas com cerdas planas e macias para combater mau hálito e outros problemas, além de possuir regularidade na escovação e fazer cerca de três visitas anuais ao dentista para tratar adequadamente as questões bucais.

Notícias do Amanhã

NoticiasDoAmanha.net