Crianças já nascem preconceituosas? – Mega Curioso

Compartilhe

Os mais diversos tipos de preconceito, que ainda assolam as sociedades humanas no século XXI, não fazem parte da nossa herança genética. De acordo com um novo estudo colaborativo feito pelas Universidades de Nova York (NYU) e de Amsterdam, as crianças se inspiram nos adultos para formar seus traços psicológicos e de personalidade.

Isso significa que os mais jovens não nascem julgando a cor de pele das outras pessoas a sua volta, mas tendem a agir de acordo com o ambiente o qual foram inseridas. Para essa conclusão, os pesquisadores analisaram 203 crianças brancas e negras de 5 e 6 anos em Nova York e 403 adultos de diferentes etnias.

Influência do ambiente

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

Durante a fase de pesquisa, os cientistas realizaram uma série de questionários para compreender a reação dos entrevistados sobre outras etnias. Foi perguntado se as pessoas viam a cor de pele como uma herança familiar e se a raça era um fator determinante para como as pessoas seriam inteligentes, simpáticas ou atléticas quando crescessem.

Como resultado, o documento revelou que as crianças enxergam a cor de pele como algo que pode ser herdado, mas sem se encaixar em estereótipos ou outros tipos de preconceito. De maneira geral, os mais jovens acreditam que as características de uma pessoa são moldadas pelo ambiente em que crescem.

Na visão da professora de psicologia na NYU e co-autora do experimento, Marjorie Rhodes, isso mostra como o preconceito pode levar anos até ser construído. “Quando ele acontece (preconceito), esse desenvolvimento depende, de certa maneira, dos bairros nos quais as crianças crescem”, argumentou.

Convívio com a diversidade

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

Um ponto importante citado pela pesquisa para que as crianças não cresçam com a visão de um mundo dividido entre raças é estar ambientado com uma comunidade diversa desde cedo. Entre os entrevistados, aqueles que sempre estiveram envolvidos em bairros mais etnicamente diversos se mostraram com uma visão mais aberta de vida.

O mesmo vale para os indivíduos que desde sempre tiveram contato com diferentes trajetórias de vida. “Tudo indica que crenças sobre raça se desenvolvem com o tempo em resposta a situações específicas”, explicou a autora do trabalho Tara M. Mandalaywala.

Sendo assim, ficou concluído que ambientes mais diversos são extremamente mais propensos para que as comunidades se desenvolvam harmonicamente e que os seres humanos aprendam mais sobre si para abandonar o preconceito. 

Notícias do Amanhã

NoticiasDoAmanha.net